Conheça o Intermapas!

26 de Setembro de 2011, por Alan Freihof Tygel - 0sem comentários ainda

O Intermapas é uma ferramenta dos movimentos sociais, redes e organizações para apoiar lutas nos territórios.

É uma tecnologia em construção, que hoje conta com informações de quatro iniciativas: Agroecologia em Rede, Farejador da Economia Solidária, Mapa da Injustiça Ambiental e Saúde e Mapa dos projetos financiados pelo BNDES.

Este pretende ser um espaço de convergência, que permite tornar visíveis elementos importantes para a construção de estratégias de incidência, mobilização e para o debate público.

Visite: http://www.fbes.org.br/intermapas/



Programação atualizada

25 de Setembro de 2011, por Alan Freihof Tygel - 0sem comentários ainda

Clique aqui para conferir a programação atualizada do Encontro!



Contra a destruição, resistência e alternativas

24 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

A Usina de Belo Monte, os grandes projetos de mineração captaneados pela Vale, os enormes monocultivos de eucalipto da Aracruz-Fibria que há décadas tomam o Espírito Santo e diversos outros estados brasileiros. Por trás dos três “empreendimentos”, uma ideia de desenvolvimeto que entra em choque com a conservação do meio ambiente e a justiça ambiental, o direito dos povos, a saúde, a cultura, os direitos humanos e territoriais. Ao redor deles, enormes rastros de destruição. Mas não é só: no Encontro Nacional de Diálogos e Convergências, durante a oficina “Reforma Agrária, Direitos Territoriais e Justiça Ambiental”, são as experiências de luta, resistência e busca de alternativas o foco das exposições.

 

Como aperitivo antes do encontro, destacamos vídeos que mostram um pouco destes cenários...

 

Xingu: porque não queremos Belo Monte

 

Maranhão, seu contexto, seus conflitos

 

Cruzando o deserto verde




Lançamento do livro: Agrotóxicos no Brasil – um guia para ação em defesa da vida

23 de Setembro de 2011, por Alan Freihof Tygel - 0sem comentários ainda

Cartaz_lancamento_livro

Leia o livro aqui: Agrotóxicos no Brasil

O uso descontrolado de agrotóxicos no Brasil tem crescido muito aceleradamente nos últimos anos, afetando agricultores familiares, populações rurais e consumidores. Mas técnicos de assessoria rural, lideranças dos movimentos sociais, profissionais à frente de programas de educação ou de ações comunitárias de promoção da saúde têm ainda uma grande carência de informações abrangentes e sistematizadas capazes de orientar na prática as ações de enfrentamento.

O livro “Agrotóxicos no Brasil – um guia para ação em defesa da vida” traz informações importantes sobre a legislação, sobre programas de monitoramento de resíduos em alimentos, sobre como identificar, encaminhar, notificar e prevenir casos de intoxicação, sobre os processos de reavaliação toxicológica dos agrotóxicos autorizados no Brasil, entre outras. Essas informações são acompanhadas de orientações objetivas visando subsidiar ações práticas de combate às irregularidades, de melhoria dos mecanismos de controle e de resistência a este modelo de agricultura que envenena os campos, as cidades, a água, o ar e as pessoas.

A publicação do livro, de autoria de Flavia Londres, é uma promoção da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e da Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA).

O lançamento acontecerá às 18:30h do dia 28 de setembro, em Salvador – BA, durante o Encontro Nacional de Diálogo e Convergências (http://dialogoseconvergencias.org/ – Av. Amaralina, 111 – Hotel Vilamar).

A mesa de lançamento contará ainda com a participação de Luiz Cláudio Meirelles (Gerente Geral de Toxicologia da Anvisa), Dr. Pedro Serafim (procurador do Ministério Público do Trabalho e Coordenador do Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos), Fernando Carneiro (professor da UnB e membro da Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletiva-ABRASCO) e Raquel Rigotto (professora da UFC e Coordenadora do Núcleo Tramas – Trabalho, Meio Ambiente e Saúde).



Lançamento do vídeo da Campanha pela Lei da Economia Solidária no Encontro de Diálogos

22 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

Está em curso no país a Campanha pela Lei da Economia Solidária: Iniciativa Popular para um Brasil Justo e Sustentável. O objetivo da Campanha é conseguir criar a primeira lei brasileira que reconheça o direito ao trabalho associado e apoie as iniciativas da economia solidária, dando espaço para as pessoas poderem se organizar em cooperação, com justiça e preservação ambiental.

A Campanha está sendo feita pelas trabalhadoras e trabalhadores que apoiam a causa da economia solidária, realizando a coleta de assinaturas necessária para encaminhar este projeto de lei de iniciativa popular ao Congresso Nacional. Mais do que aprovar a lei com pressão popular, o objetivo da Campanha também é mobilizar a sociedade para uma outra economia, com o processo educativo da campanha.

Durante o Encontro Nacional de Diálogos e Convergências ocorrerá o lançamento do vídeo de mobilização da Campanha pela Lei da Economia Solidária, no dia 29 de setembro, às 11:30h, em Salvador - BA.

Saiba mais sobre a campanha e acesse os materiais disponíveis, como cartilha, texto da lei e formulário da coleta, no site: www.cirandas.net/leidaecosol





Saiba mais sobre os temas do Encontro

21 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

As coordenações de cada um dos seminários que fazem parte da programação do Encontro Nacional de Diálogos e Convergências elaborou um termo de referência para que os participantes possam ter acesso a uma introdução do que será abordado em cada temática.

Já estão disponíveis os termos de referência:

Oficina Participação, autonomia política e econômica e auto-organização das mulheres

Oficina de Comunicação

Seminário Agrotóxicos, Transgênicos, Saúde Ambiental, Justiça Ambiental e Agroecologia

Seminário Direito dos Agricultores, Povos e Comunidades Tradicionais ao Livre Uso da Biodiversidade

Seminário Agroenergia: impactos da expansão dos monocultivos para agrocombustíveis e padrões alternativos de produção e uso de energia no mundo rural

Seminário Reforma agrária, direitos territoriais e justiça ambiental



Livro sobre agrotóxicos será lançando durante Encontro de Diálogos

19 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

Agrotóxicos no Brasil - um guia para ação em defesa da vida

O uso descontrolado de agrotóxicos no Brasil tem crescido muito aceleradamente nos últimos anos, afetando agricultores familiares, populações rurais e consumidores. Mas técnicos de assessoria rural, lideranças dos movimentos sociais, profissionais à frente de programas de educação ou de ações comunitárias de promoção da saúde têm ainda uma grande carência de informações abrangentes e sistematizadas capazes de orientar na prática as ações de enfrentamento.

O livro “Agrotóxicos no Brasil - um guia para ação em defesa da vida” traz informações importantes sobre a legislação, sobre programas de monitoramento de resíduos em alimentos, sobre como identificar, encaminhar, notificar e prevenir casos de intoxicação, sobre os processos de reavaliação toxicológica dos agrotóxicos autorizados no Brasil, entre outras. Essas informações são acompanhadas de orientações objetivas visando subsidiar ações práticas de combate às irregularidades, de melhoria dos mecanismos de controle e de resistência a este modelo de agricultura que envenena os campos, as cidades, a água, o ar e as pessoas.

A publicação do livro, de autoria de Flavia Londres, é uma promoção da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e da Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA).

O lançamento acontecerá no dia 28 de setembro, em Salvador - BA, durante o Encontro Nacional de Diálogo e Convergências.

Em breve o livro estará também disponível na internet, no site www.aspta.org.br



Seminário sobre Agroenergia será no dia 28

16 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

O Seminário Agroenergia: impactos da expansão dos monocultivos para agrocombustíveis e padrões alternativos de produção e uso de energia no mundo rural, será realizado durante o Encontro de Diálogos, no dia 28 de setembro, de 8:30 às 18:30h.

Confira as experiências que serão apresentadas durante o Seminário e os textos de referência:

1) O caso do avanço do dendê na Amazônia

Quem apresenta: Verena Glass – Repórter Brasil

Textos de referência:

- O Brasil dos Agrocombustíveis: Os Impactos das Lavouras sobre a Terra, o Meio e a Sociedade Volume 5 – Gordura Animal, Algodão, Dendê, Pinhão-manso, Girassol e Canola – setembro de 2009. Páginas 29-33

http://www.reporterbrasil.org.br/documentos/o_brasil_dos_agrocombustiveis_v5.pdf

- A agricultura familiar e o programa nacional de biodiesel. Novembro de 2010 Páginas 17-36

http://www.reporterbrasil.org.br/documentos/AgriculturaFamiliar_Biodiesel2010.pdf

 

2) Coopercana (Rio Grande do Sul): um símbolo de persistência e esperança

Quem apresenta: Cecília Bernardi (Marcha Mundial das Mulheres) e Gildo Bratz (Coopercana)

Texto de referência:

- Amaral, Volmir Ribeiro do Amaral. Coopercana: um símbolo de persistência e esperança. In: Moreno, Camila e Ortiz, Lúcia. Construindo a Soberania Alimentar e Energética. Dezembro de 2007. Páginas 25-41

http://www.natbrasil.org.br/Docs/publicacoes/cartilhabaixa.pdf

 

3) A experiência da Cooperativa Grande Sertão e do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas Gerais com a produção de plantas oleaginosas para o Programa do Biodiesel

Quem apresenta: Aparecido Alves de Souza (Cooperativa Grande Sertão) e Carlos Dayrell (Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas Gerais)

Texto de referência:

Dias, Fábio e Dayrell, Carlos. A experiência da Cooperativa Grande Sertão e do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas Gerais com a produção de plantas oleaginosas para o Programa do Biodiesel. In: Agricultura Familiar, Agroecologia e Agrocombustíveis: Caderno da Comissão de Agroenergia da Articulação Nacional de Agroecologia (no prelo)

 

4) A Experiência do MST-CE na Cadeia de Agroenergia

       Quem apresenta: Antônia Ivoneide Melo Silva (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, Ceará)

Texto de referência:

Correa, Ciro Eduardo. A Experiência do MST-CE na Cadeia de Agroenergia. In: Agricultura Familiar, Agroecologia e Agrocombustíveis: Caderno da Comissão de Agroenergia da Articulação Nacional de Agroecologia (no prelo)



Programação

9 de Setembro de 2011, por Alan Freihof Tygel - 0sem comentários ainda

Clique aqui para ver a programação do encontro!



Diálogos que partem do território

8 de Setembro de 2011, por Raquel Júnia de Magalhães - 0sem comentários ainda

Toda a metodologia do Encontro Nacional de Diálogos e Convergências parte das dinâmicas e realidades locais para seguir com reflexões sobre como interconectar temas e redes de modo regional e nacional.

É por isso que o pontapé inicial do Encontro foi a realização de três oficinas em territórios onde as redes e articulações organizadoras identificaram resistências ao modelo dominante de desenvolvimento. Mas além de resistir, nesses espaços, há mais: agroecologia, saúde e justiça ambiental, soberania alimentar, economia solidária e feminismo são conceitos aplicados à prática. E é a partir daí que o Encontro de Diálogos quer refletir.

Veja as reportagens produzidas em cada uma das oficinas territoriais e descubra um pouco sobre os primeiros passos do Encontro Nacional.

Primeira parada
– outubro de 2011, Pólo da Borborema - PB

Ouça: Pólo da Borborema: trincheira da agricultura familiar
Aline Scarso - série produzida pela RadioagênciaNP 

Avanço da agricultura familiar

Banco de Sementes: independência do pequeno agricultor

Combate com o agronegócio: a expulsão da Souza Cruz

Soberania alimentar e o papel das mulheres na agricultura

Conhecimento popular e controle da mosca-negra

O que esperar da agricultura familiar no próximo período?

 

Segunda parada
– novembro de 2011, Planalto Serrano – SC

Experiências em agroecologia

Raquel Júnia - Escola Politécnica de Sáude Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

Diversificação da produção, organização e formação dos trabalhadores rurais são pilares do modo de produzir agroecológico

Agroecologia na alimentação escolar

Raquel Júnia - Escola Politécnica de Sáude Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

Desde 2009, lei define que pelo menos 30% dos produtos da alimentação escolar devem ser provenientes da agricultura familiar. De acordo com o FNDE, a prioridade é para alimentos agroecológicos.

 

Terceira parada
– março 2011, Norte de Minas Gerais

Resistência local inspira luta contra desenvolvimento insustentável
Lívia Duarte – Agência Pulsar Brasil (com áudios)

Experiências de resistência dos povos que vivem no norte de Minas Gerais inspiram grupos de todo o Brasil a pensar formas de lutar contra um modelo insustentável de desenvolvimento. O debate aconteceu na Oficina Territorial Diálogos e Convergências.

Movimentos se reunem para lutar contra desenvolvimento destruidor
Lívia Duarte – Agência Pulsar Brasil

Movimentos sociais, redes e comunidades tradicionais do norte de Minas Gerais se reunem para buscar caminhos para a luta contra um modelo de desenvolvimento que destrói o meio ambiente, a saúde e a vida das comunidades.

Dois modelos em disputa no Cerrado: agroecologia e agronegócio
Raquel Júnia - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

Populações tradicionais se mobilizam pelo direito à terra e a uma produção que respeite o meio ambiente e promova a saúde 

Biodiversidade para garantir a saúde
Raquel Júnia - Escola Politécnica ded Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

Experiências de agricultores no norte de Minas Gerais mostram que garantia do direito à terra para produzir de forma diversificada e em sintonia com o bioma natural é uma receita eficaz para promover a saúde

Agronegócio não garante segurança alimentar

Raquel Júnia - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, 70% do que comem os brasileiros vem da agricultura familiar. A experiência dos situação dos moradores do assentamento Americana, onde, segundo eles próprios, "há de tudo um pouco", é um exemplo de como a agricultura familiar, sobretudo a prática agroecológica, pode garantir a segurança e a soberania alimentar.